topbella

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

É NO ESCURO

Que te sinto
Onde eu te encontro....
E fazemos companhia um pro outro
Nossos silêncios se cruzam
Nossas almas se querem
Nossos corações se desejam
Nossos corpos passam a ser um
Mas quando paro de ouvir teu silêncio
Que dizer que você não está mais aqui
Pra segurar as minhas mãos
Quando sinto medo de algo
E o meu era te perder
O que tinha medo aconteceu
Você se foi....
Deixando-me um vazio...
Nunca chorei tanto com uma partida
E a tua me cortou ao meio
Pior te perdi pra vida
Então sangrou mais
Pois teu amor não era meu
Era só provisório
Uma hora iria me abandona


O meu refúgio

O meu refúgio é a minha solidão...
Lá tento mascarar a dor
Para não me acompanhar
Mas não e possível
Sinto-te em mim
Cada ausência tua
É minha também
Mutila o meu coração...
Com sua confissão
Minha alma te ouve
E te vê como se nunca tivesse partido
Você me visita
Eu te procuro dentro de mim
Teu amor ainda vive em cada conto de minha memória
Você foi minha fraguesa
Eu não posso perdoar alguém que fingiu me amar
Me trouxe muita tristeza e vazio
Te amo  mais não quero mais amar
Essa dor quase me levou ao desespero
Fiquei abatida por sua causa
Chorei tanto que me sangrou por dentro
Ainda insiste em me torturar
Desisto de sofre por alguém que nunca foi meu
Só na minha imaginação
Essa dor vai anestesiar na tua ausência
Pra eu sentir minha presença.

Meu Coração Está Partido

Eu vou vagar sem destino até o fim dos tempos,
 Para bem longe de você.
Eu me afasto para enfrentar a dor.
Eu fecho meus olhos e me afasto...
Do medo de que eu nunca vou encontrar uma maneira de curar a minha alma.
E eu vou vagar até últimos minutos que me resta.
Meu coração está partido
Durma docemente, meu anjo negro.
Livra-me!!
De permanecer nesta tristeza e angustia deste meu coração endurecido pelas amarguras.
Eu não posso continuar vivendo dessa maneira
E eu não posso voltar do jeito que eu sou.
Envergonhada desse medo de que eu nunca vou encontrar...
Mudança!
Abra seus olhos para a luz
Eu neguei tudo isso por tanto tempo...
Digo adeus....
Meu coração está partido
Liberte-me, eu não posso continuar...

domingo, 27 de novembro de 2011

Assim você me completa...

Por noites suspirando ...
Eu sigo te amando
Na ausência que desperta
Meu peito aperta a dor certa de não te ter ao meu lado sonhando...
Por fim sigo vagando...
Sem teu calor minha alma sofre te amando.
Não disfarço cada passo e no compasso do meu coração,
Teu nome surge como uma canção.
Linda sinfonia, coral que canta a paixão!
A meia luz do luar chuva cai pelo meu corpo desejo só te amar
Livrando-me do frio, protegendo-me da escuridão
Num temporal de saudades um vendaval trás tua imagem
Vê-te ao longe dos meus olhos
Mas te sinto perto do meu coração...


Com que letras te escrevo?



Transformando o amor
Por entre letras sem cor
Com que letras te escrevo
Prostrada nessa doce dor?...
Amor?
E a cada olhar
Letras de saudades bailam no ar
Faz-me doer só ao respirar
...ainda sente se eu nada falar?
Leia-me...
E cada letra sou eu
Soletra-me...
Sabes bem os desejos meus
Ouça-me...
E me faz ultrapassar a velocidade da saudade...·... Ah!
Dor que arde, não faça o meu coração parar!
Para a distância não irei te entregar
Por isso te tento te atiro letras, te seduzo entre meus "as”
Conseguirei eu em voz muda te alcançar?
Que minhas letras possam pronunciar o que meus lábios não conseguem...
gritar!

RETRARTE

Molduro teu rosto em quadro exposto
Pintura a óleo são olhos teus
Em meu "retrate”, és arte teu rosto
Assim teu olhar não me dirás adeus!
Corro por entre dedos na pintura em tela
Porém tua arte não revela que gosto tem...
E qual cor...
Qual sabor findaria naquela
Se do teu gosto provasse como ninguém?
Decoro cada traço da pele tua
Por entre paredes feitas de giz
Percorro-te por entre olhar e meu corpo flutua
Perco-me...
Encontro-me, sinto-me por um triz!
Ah! Se minha loucura fosse atendida...
Em minhas mãos seria meu cada fragmento teu...
Ah!Se teu cenário tivesse saída!
Tua obra em mim revestida.
Divino!
Serias meu...


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Refugio no Tempo

A magoa não é apenas vivido nas tristezas de um mundo real;
Fantasias também são sentimentos;
Para aqueles que fogem;
Para um mundo de sonhos;
Para aqueles que esperam;
Que um dia sonhos se tornem realidade;
E que o amor verdadeiro não seja só um sonho;
Como outro qualquer;
Meu mundo para no tempo quando penso em você;
Meu coração faz sentir você mais perto;
Nada importa nesse silencio;
Nada pode me ferir no refugio do pensamento;
A chuva lava minhas tristezas;
E cada gota me faz viajar no tempo;
Cada lembrança me faz sentir mais vivo;
Onde quer que você possa estar;
Você vive em meu pensamento;
Não vejo a hora de meu sonho se realizar;
Não perco a esperança;
Mesmo que a realidade seja diferente de sonhar;
O mundo segue em frente controlado pela rotina;
Sem sentido e emoção;
Eu paro no tempo para me sentir mais vivo;
Vivo meus próprios momentos;
Sempre existe alguém especial;
Mesmo que sonhar nesse amor;
Seja só um jeito de enganar a solidão;
A esperança me das forças quando fujo da realidade;
Meu coração sente você mais perto;
Mesmo que meus olhos não possam enxergar;
Nada importa nesse silencio;
Descubro que ainda posso sentir;
O amor verdadeiro que nunca mente;
Espero por você onde quer que possa estar



PALAVRAS NUNCA DITAS

Mais um dia se vai;
De um tempo que nunca passa diferente;
A cada dia novas chances são perdidas;
Por palavras nunca ditas;
Por sentimentos nunca descobertos;
Mais um novo amanhecer;
E as lagrimas veem com a solidão;
De mais um dia sem poder amar;
Alguém enquanto esteve sempre perto;
Pra lhe fazer sorrir mais um dia;
Agora o sol nasce com o arrependimento;
De não poder falar com quem sempre amou;
O tempo passa lentamente;
Quando se esta bem perto de quem te faz sonhar;
Mas um dia sem falar o que sente;
Acumulam sofrimentos;
Que podem se transformar;
Em novos arrependimentos;
Que o tempo não consegue apagar;
E o destino pode não mudar.
Mais um dia se foi;
E tudo continua o mesmo;
A cada dia novas chances são perdidas;
Com palavras nunca ditas;
E o mundo para de girar;
Envolta de você.

domingo, 20 de novembro de 2011

Que coração

Chove lá fora!
Coração que chora,
Não sabe ser razão,
Dominado pela emoção,
Sofre incompreensão,
Desilusão, decepção,
Que danadinho!
Esse coração...
Direito...
Avesso,
Não tem dono, não tem jeito,
Medo do desrespeito,
É respeito no peito,
Sente dor e amor,
Covarde?
Valente?
Atrapalhado?
Calado?
Cheio de amor...
Sonhos alados...
Coração apaixonado



Apenas uma poesia

Estou com tantas saudades...
Saudades de você...
De sua voz...
De seus olhos...
De sua boca...
Seu toque, seu afago...
Estou com saudades,
De seu cheiro, seu abraço!
Estou com tantas saudades...
Saudades que dói
Saudades que agonia meu coração...
Saudades que não tem fim
Estou com saudades de você
Saudades amor...
Saudades de seu amor
De seu carinho...
Saudades, que sei, é só minha
Saudades de um amor
Que só eu senti
Só eu sonhei
Só eu amei...
Estou com saudades
Mesmo lembrando que foi tudo uma mentira...
Estou com saudades de você
Se o tempo voltasse
Seria tudo igual...
Mesmo sabendo que não foi real
Mesmo sabendo que foi uma doce mentira...
Mesmo sabendo que suas juras de amor
Nada foi real, tudo mentira.
Nada foi verdade sua, mesmo assim...
Se o tempo voltasse amor
Viveria tudo de novo com você!
Estou com saudades, ela está doendo.
Está apertando meu coração...
Estou em prantos a pensar em você
Estou sofrendo demais
Essa saudade dói...
Queria só por um minuto
Escutar tua voz, como no início.
Tão terna tão linda.
Tão doce...
Minha alma se elevava
Meu coração vivia, tinha você!
Hoje minha alma vaga
A te procurar, e não encontrar...
Meu coração sangra de dor
Estou com saudades amor...
Saudades de ser amada
Mesmo enganada...
Estou com saudades amor
Estou com tantas saudades...
De você!

Darei o salto final

Quando fico ao pranto...
Coloco o véu para esconder minha tristeza
Pra ninguém me ver dilacerada
Esse é o meu segredo
Pois a dor é minha...
Não tenho por que em compartilhar
Estou aprisionada na minha alma
A multidão que há dentro de mim
Tortura o meu ser
Porque há gritos e vozes
Preciso me acolher no lugar calmo
Para a minha dor não me afundar de vez
Infelizmente sofre é o que me resta nesse momento
Sei que não te trará de volta
È não se atreva mais a amedrontar...
Meu coração está fraco
E não aguenta mais tanta angustia
Chegará um dia que não sangrarei mais
Pois esse amor que ainda guardo no meu peito findará
Por enquanto vou te ocultar
Até você morrer na minha memória
E eu descansar desse abismo que tive de passar...
Só por amar quem nunca foi pra mim...


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Onde não pertenço..

Inutilizáveis correntes que carrego,
presas em meus pulsos de memórias,
vivas em instantes, matando-me, não nego!
O que já não tenho vivo em poucas glórias.
.Enterro minhas lembranças de tormento,
no vago espaço de minha alma,
entres caídas flores e pura calma...
O vazio se torna meu contentamento.
.Revoadas de escuridão,
entre tantos pensamentos,
misturando-me já, em tanta solidão,
que limita meu sentir de tantos sentimentos.
Suspiros quebram o silencio intenso,
em cada nebulosa noite fria...
Queria tanto, achar-me onde merecia,
mas só me encontro onde...
 não pertenço.



Lágrimas depressivas

É assim todo o dia
O sol clareia brando
A lua suaviza meu pranto
Medito sobre minha vida vazia
Lágrimas de suplício
Lágrimas geladas…
Lágrimas desperdiçadas…
Tentando aliviar meu martírio
E eu odeio tudo isso.
Odeio sentir essa tortura
Ser seguida por essa amargura
Minha lamúria
Meu terror que queima minha alma
Minha mortificação que não me deixa ter calma
Minha eterna fúria
Lágrimas…
Lágrimas de dor
Lágrimas sem amor
Mágoas…
Tentei me afogar
Nessa lamentação inútil
Nesse lamento fútil
Na bruma que disfarça o mar
Mas isso não me protegeu
Só me trouxe mais aflição
Mas isso não me abateu
Pois, assim como eu
Nesse mundo profano
Sufocado nesse desejo insano.
Muita gente morreu…
Nessa imortal depressão.

Páginas de sangue:

Tudo....
 Está tão diferente;
De como sempre foi;
Agora apenas posso te olhar;
Mas antes fazia parte dos seus momentos;
Tudo mudou;
Até o que parecia;
Não ser tão importante;
Para nos dois;
Quando penso em você;
Dou vida aos sentimentos;
Mas agora isso traz a dor;
Fico preso no passado;
Com a dor que agora;
Me faz pensar que isso é o fim;
Para nos dois;
Penso no passado;
E no que ainda restou;
Das lembranças;
Mas isso me machuca;
Por estar sozinho agora;
Recordando as cinzas;
Das histórias esquecidas;
Do nosso passado só sobrou;
Paginas cobertas de sangue;
As lembranças agora trazem a dor;
Fico preso em tudo o que se foi;
E a saudade me sufoca;
Quando penso em...
Você!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Tela Fria

Nesta tela fria...
E escura tua foto aflige meu ser,
Teus olhos sangram, ferindo-me a felicidade.
Preso sobre a tortura de uma imagem consumida pelos olhos,
A doçura de um anjo transcende o amargo sentimento melancólico.
Seus lábios sem cor degradam seu rosto
 sobre a noite...
Sufocado por um insano choro calado e arrependido sua face mórbida se finaliza aos poucos.
Seu sentimento enterra o ódio...
E persegue a felicidade.
Expulsando a dor finita e sentimento implacável do vazio.
O inferno e as trevas completam a esperança coagulada.
Vá embora infame maldição...
Que atormenta minhas noites,
Deixe-me em paz maldita perfeição,
Não preciso desta escuridão dentro dê meu peito.
Preciso acordar mais este dia com está ferida ...
Sem o teu canto fúnebre ...
Sussurrando por mim.

.

.

Simplesmente uma Borboleta